Em Mangaratiba, o dia foi de reunião para os presidentes de subseção e a diretoria da Ordem. Desde cedo, na Plenária do II Colégio de Presidentes de Subseção, os representantes dos oito grupos formados nas reuniões zonais listaram as principais reivindicações, projetos e dificuldades dos advogados do estado, entre elas, as melhorias no Processo Judicial eletrônico (PJe). "Vamos lutar para que seja adotado um sistema unificado de peticionamento eletrônico", adiantou o presidente da OAB/RJ, Felipe Santa Cruz. O ex-presidente da entidade, Wadih Damous, foi homenageado com uma placa de reconhecimento aos serviços prestados em prol da advocacia.
 
Vamos lutar para que seja adotado um sistema unificado de peticionamento eletrônico
Felipe Santa Cruz
presidente da OAB/RJ
Para Felipe, a homenagem dentro de um colégio de presidentes se deve ao fato de que foi a partir das gestões de Wadih que os encontros desse tipo se transformaram em foros de decisões importantes da Ordem. "A ele coube um papel importante de valorização das subseções. O que temos desde então é um grupo, coletivo e com suas particularidades, mas que mantém uma formação série e em constante busca de melhorias para a classe", disse.
 
Felipe destacou, ainda, a postura sempre séria com que Wadih tratava os problemas. "Desde que começamos a trabalhar juntos em busca de melhorias para a advocacia, identifiquei que ele personificava o que seria melhor para as relações constitucionais da OAB. A seriedade com que ele trata as causas e abraça as questões da advocacia e da sociedade me fizeram desenvolver cada vez mais uma admiração por sua postura. Ums postura coerente com uma história de lutas pela advocacia e pelo país. Resultado disso é que, ao sair da Ordem, Wadih teve mais de 80% de avaliação de boa a ótima pelos advogados", destacou o atual presidente da entidade. 
 
Felipe anunciou, também, que, será feita nova homenagem a Wadih em dezembro, quando vai ser inaugurada sua foto na galeria de ex-presidentes da Seccional, dessa vez, com a participação de todos os conselheiros seccionais, além dos presidentes de subseção.
 
Temos que dizer ao Judiciário que não aceitamos que o PJe nos seja enfiado goela abaixo
Wadih Damous
ex-presidente da OAB/RJ
Visivelmente emocionado, Wadih apontou o trabalho coletivo com os presidentes de subseção para a conquista de melhorias para a classe. "Uma das coisas que o Felipe mencionou é a de que este colégio, hoje, tem protagonismo. Sempre respeitei a coragem de quem põe a cara a tapa numa disputa de eleições pelo bem da categoria. Por isso, sempre considerei importante transformar este colégio em um ponto principal de debates. Sinto-me muito honrado de ter tido a oportunidade de servir a OAB ao lado da maioria dos senhores. Uma homenagem como esta mostra o carinho que construímos entre nós", analisou. 
 
Reconhecendo que ainda há muito a ser feito, uma vez que "a caminhada da advocacia é eterna", o ex-presidente ponderou as muitas dificuldades enfrentadas com o funcionamento do processo eletrônico. "Temos que dizer ao Judiciário que não aceitamos que o PJe nos seja enfiado goela abaixo. Num país em que há contrastes de acessibilidade e dificuldade nas informações, sem uma base tecnológica uniforme, cada tribunal com um programa diferente é uma falta de respeito com a cidadania e a advocacia", destacou. 
 
Os problemas com o processo eletrônico lideraram as reclamações dos representantes na plenária deste sábado. Apesar de já ter mais de 85 funcionários de subseção capacitados para auxiliar advogados com dificuldade, a diretoria da Seccional prometeu investir ainda mais nesta qualificação, assim como em novos treinamentos para os colegas, e continuar a pressionar os tribunais por melhorias.
 
Desrespeitos às prerrogativas, com a necessidade de divulgação de uma cartilha atualizada sobre o tema, falta de juízes e servidores, elevação de comarcas e jurisprudências de serventias também foram pontos citados no encontro.
 
Divididas em oito grupo, as subseções tiveram como representantes, os presidentes da OAB de Duque de Caxias, Geraldo Menezes, na Baixada, da Subseção de Santo Antônio de Pádua, Adauto Furlani, na região Norte, de Barra do Piraí, Denise de Paula Almeida, no Sul, de Cordeiro, Rilley Werneck, como representante da região Serrana, de Angra dos Reis, Cid Magalhães, da Costa Verde, de Rio Bonito, César Gomes de Sá, na região Metropolitana, e da Leopoldina, Frederico Mendes, na Capital. A Região dos Lagos escolheu três representantes, Andrea Meirelles de Macaé, Alan Macabu de Rio das Ostras e Miguel Saraiva de Saquarema.
 
Neste domingo, dia 10, será lida a Carta de Mangaratiba, com os principais pontos destacados no encontro.