A Comissão de Direitos Sociais e Interlocução Sociopopular da OABRJ trabalha em diferentes frentes, mas uma delas vem ganhando cada vez mais visibilidade: a causa indígena. Muitas são as razões que levaram o grupo a agir mais profundamente em relação a essa questão. 

Recentemente, os incêndios na Amazônia trouxeram novamente o assunto à pauta, bem como propostas que pretendem autorizar a mineração e as atividades agropecuárias em terras indígenas. Além disso, segundo dados preliminares da Comissão Pastoral da Terra, o número de mortes de lideranças indígenas em 2019 é o maior em 11 anos

De acordo com o presidente da comissão, Marcelo Chalréo, o projeto em curso iniciou-se em abril de 2019, com a realização de um encontro sobre a situação da população indígena, em parceria com o Ministério Público Federal e o Conselho Indigenista Missionário. 

Chalréo lembra que no Rio de Janeiro vivem milhares de indígenas. "Os números variam porque eles ainda vivem num certo nomadismo, mas temos aldeias em Maricá, em Angra dos Reis e em Paraty, fora os que vivem nos espaços urbanos, tentando manter as tradições", pondera.

Em outubro, a comissão esteve pessoalmente na Costa Verde do Rio de Janeiro, visitando as aldeias indígenas da região. A ideia era checar as condições e localidades das tribos que vivem na região. A partir dessas visitas, surgiu a ideia de auxiliar na construção de um encontro entre as lideranças indígenas do Sul-Fluminense e do Norte-Paulista. "Eles vivem em um ambiente geograficamente semelhante e têm uma vida parecida, enfrentam os mesmos problemas. O encontro tem o objetivo de fazer eles se conhecerem pessoalmente, ajudando na sociabilidade e na possibilidade de criação de mecanismos de comunicação entre eles", explica Chalréo.

Ele reforça que o protagonismo está com os povos indígenas e que cabe à OAB e às outras entidades envolvidas apenas auxiliar no processo. O próximo passo será uma reunião com as lideranças indígenas paulistas, entre março e abril deste ano. A ideia é que o encontro de integração entre Rio de Janeiro e São Paulo aconteça no segundo semestre deste ano.