OAB/RJ faz homenagem à Dona Lyda Monteiro da Silva

 

 

28/08/2007 - Nesta terça-feira, dia 28, o presidente da OAB/RJ, Wadih Damous, participou de uma homenagem à Dona Lyda Monteiro da Silva, na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro. Vítima de uma carta-bomba endereçada ao Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil no dia 27 de agosto de 1980, Dona Lyda era a secretária do então presidente Eduardo Seabra Fagundes. Desde então, o dia 27 de agosto passou a ser o Dia Nacional de Luto dos Advogados.

 

O evento, realizado para comemorar o Dia da Câmara, homenageou ainda outras personalidades e instituições vítimas do arbítrio. No dia 27 de agosto de 1980, a casa legislativa e o jornal Tribuna Operária também sofrerem violentos ataques terroritas.

 

Leia, na íntegra, a homenagem da OAB/RJ à Dona Lyda Monteiro da Silva.

 

 

A ETERNA LUTA CONTRA O OBSCURANTISMO

 

                                      UMA HOMENAGEM DA OAB/RJ A DNA. LYDA

                                      MONTEIRO DA SILVA – VÍTIMA DO TERRORISMO

                                      DAS FORÇAS DA REAÇÃO DO REGIME MILITAR 

 

 

                                       A luta dos advogados brasileiros contra a ditadura militar, pelo estabelecimento do Estado de Direito Democrático, o respeito aos direitos humanos e garantias individuais do cidadão, registra momentos de heroísmo, de destemor, de altivez, de coragem e mais um sem número de exemplos grandiosos dos que não se curvaram ao arbítrio. Mas também marca um dos mais tristes episódios da conturbada história política brasileira: o atentado à sede do Conselho Federal da OAB, ocorrido no dia 27 de agosto de 1980, que vitimou a dedicada secretária do Presidente Eduardo Seabra Fagundes, Dna. Lyda Monteiro da Silva, cuja autoria jamais foi estabelecida.

 

                                      Naquela manhã de agosto, uma bomba assassina, detonada pelas forças dos porões militares da ditadura agonizante, tentou intimidar as forças democráticas e progressistas que faziam o processo de abertura política avançar inexoravelmente. E, sabedores que eram da força de nossa instituição, destinaram ao Conselho Federal uma de suas ações terroristas praticadas naquela data fatídica. Outras duas bombas explodiram, ainda, na Câmara dos Vereadores e na sede do jornal “Luta Operária”. O resultado, página infeliz de nossa história, foi a morte da zelosa secretária, responsável pela abertura das correspondências do Presidente, atingida pelo petardo.

 

                                       Hoje, passados 27 anos, não nos resta apenas homenagear Dna. Lyda e reverenciar a luta do passado. O obscurantismo é, infelizmente, um traço da política nacional, devendo ser eternamente combatido pelos democratas e patriotas, características que se amoldam à nossa categoria profissional como parte integrante de nossa formação moral e ética. A OAB/RJ, ao passo em que dedica a este Dia Nacional de Luto dos Advogados à lembrança de Dna. Lyda Monteiro e à manifestação de seus fraternos sentimentos aos familiares, reafirma sua disposição de mobilizar a categoria, agora e sempre, para que as conquistas do povo brasileiro na luta pela Democracia se aprofundem cada vez mais, único anteparo possível ao arbítrio e suas mazelas.         

 

 

Wadih Damous