Criada por um decreto do presidente Epitácio Pessoa, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) - a primeira do país - completa cem anos nesta segunda-feira, 7 de setembro.  Para comemorar a data, a instituição lançou o documentário Centenária: a Universidade do Brasil entre duas pandemias.

Presidente da OABRJ, Luciano Bandeira  celebra  o centenário da universidade e enfatiza a importância do ensino público de qualidade para o avanço do país: 

"São cem anos em defesa da educação pública através de um modelo de ensino que atende às necessidades da sociedade e qualifica profissionais para as mais diversas áreas".

Uma das principais instituições científicas do país, a UFRJ se adaptou rapidamente para responder às demandas advindas com a pandemia de Covid-19. Trabalhos iniciados em maio por pesquisadores do Instituto de Bioquímica Médica da instituição, coordenados por Jerson Lima Silva, verificaram que soros produzidos por cavalos para o tratamento da doença têm até cem vezes mais potência em termos de anticorpos neutralizantes do vírus.

Após a aprovação pela Anvisa e pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa, o grupo fará testes clínicos, com foco nos pacientes com diagnóstico confirmado da doença. O estudo indica que enquanto não houver vacina, o uso potencial da imunização por terapia com soro deve ser considerado como uma opção.

Os laboratórios da univerdade já desenvolveram, também, outras inovações no combate à Covid-19, como um ventilador pulmonar mais acessível e um teste sorológico  para a detecção do vírus.

Criada em 1920 com a fusão de algumas instituições já tradicionais à época (Escola Politécnica, fundada em 1792, Faculdade Nacional de Medicina, de 1808, e Faculdade Nacional de Direito, fundada em 1892) a universidade se torna a cada ano mais plural. Hoje conta com mais de 65 mil estudantes e 4 mil docentes divididos entre 176 cursos de graduação e 232 de mestrado e doutorado. Sob o comando da UFRJ funcionam nove hospitais e institutos de atenção à saúde, 13 museus e 45 bibliotecas. 

A instituição é comandada hoje por Denise Pires de Carvalho, ex-aluna da universidade e a primeira mulher a assumir a reitoria da UFRJ.