Deputado ataca representante da Onu que criticou ações da polícia

 

 

Do jornal O Dia

 

22/11/2007 - O deputado Marcos Abrahão (PSL) aumentou a polêmica em torno dos direitos humanos no estado e provocou revolta ontem, com declarações que misturaram preconceito e palavrões. Discursando na Alerj sobre a morte dos policiais assassinados nos últimos dias, Abrahão criticou grupos de direitos humanos e chamou de "veadinho" e "bicha" o relator Philip Alston, da Organização das Nações Unidas (ONU), que havia criticado a polícia e o governo do Rio.

 

Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil, Margarida Pressburger disse que o deputado é preconceituoso. "Já começa todo errado. Se usa o termo como pejorativo, não entende nada de direitos humanos. Lamento pelo povo que elegeu um elemento desse gabarito", declarou ela.

 

"Falo e repito. Não entendem p. nenhuma de segurança. Tem um monte de veadinhos nos direitos humanos, inclusive dentro da Assembléia. A (comissão) da Alerj não funciona", reafirmou, à noite, o deputado. Mais cedo, ele elogiara a conduta do governador Sérgio Cabral em relação à segurança pública e pediu que outros vereadores defendessem policiais que estariam sendo "escrachados".

 

Margarida Pressburger voltou a culpar a política de segurança pela violência. "Se continuarmos com essa política de segurança pública, teremos muito mais mortes. Até onde vamos2 Cada vez apreende-se menos e mata-se mais", comentou ela, que em breve se encontrará com a família dos policiais mortos no Andaraí este mês.

 

O relator da ONU Philip Alston criticou, semana passada, a política do governo do estado.