Nos últimos tempos, diversos temas sensíveis e polêmicos foram debatidos pelo Supremo Tribunal Federal. A aplicabilidade da Lei da Ficha Limpa, a união homoafetiva, o aborto em casos de anencefalia e a prisão após a condenação em segunda instância são bons exemplos de casos que despertaram paixões e ódios, dando inédita repercussão às sessões da corte constitucional brasileira. Mas como enfrentar desacordos morais de uma sociedade da melhor forma? Esse e outros questionamentos foram levantados durante o evento 'Direito e backlash', realizado na noite desta segunda-feira, dia 18, na ESA.

O promotor do Ministério Público de Goiás Samuel Sales Fonteles foi o responsável por proferir a primeira palestra da noite, falando sobre casos de resistência social, no Brasil e no exterior, a decisões judiciais, situação conhecida como backlash.

Na sequência falou Valter Shuenquener, que é juiz federal e membro do Conselho Nacional do Ministério Público. A apresentação do encontro ficou a cargo da coordenadora acadêmica da ESA, Thaís Marçal.