Representando as diretorias da Seccional e da Caarj - entidade na qual é vice-presidente -, a diretora de Mulheres da OABRJ, Marisa Gaudio, participou de um dos 14 painéis da III Conferência Nacional da Mulher Advogada, que está sendo realizada desde quinta-feira, dia 5. Tendo como tema central “Igualdade, liberdade e sororidade”, o evento reúne advogadas em Fortaleza, no Ceará, para  palestras e workshops. O debate de Marisa tratou sobre a multiparentalidade – reconhecimento de filiações por afetividade.

“Eu debati a dupla maternidade, que são duas mães tendo um filho. Uma biológica e a outra afetiva. Uma engravida, a outra não, mas é tão mãe quanto a que engravidou. Isso é a dupla maternidade”, explicou.

Além da família, eixo central do debate, o painel do qual ela fez parte também buscou discutir o papel da mulher nas diferentes esferas da sociedade, refletindo sobre os limites impostos.

“Presumidamente o papel da mulher dentro da família é o que ela quiser, assim como em toda a sociedade. Relações familiares são construídas e a mulher vai debater com os familiares dela como vai ser aquela relação”, ressaltou Marisa.

A diretora explicou que é fundamental promover eventos que tratem sobre questões da mulher, pois, segundo ela, a igualdade prevista na Constituição permeia a formalidade e ainda não foi posta em prática na sociedade. Como exemplo ela usou a diferença salarial existente ainda hoje entre homens e mulheres que ocupam o mesmo cargo.

“Há muitas mulheres na base e poucas em cargos de poder. Se você pensar na própria advocacia há muitas mulheres estagiárias, advogadas juniors ou no meio da carreira, mas sócias temos poucas”.

A Conferência foi organizada pelo Conselho Federal da OAB por meio da Comissão Nacional da Mulher Advogada. As atividades vão até o fim desta sexta-feira.