Em mais um evento gratuito de iniciativa da Escola Superior de Advocacia (ESA) da OAB/RJ, foi discutida na noite desta terça-feira, na sede da OAB/RJ, a ideia de regulação dos parklets, espaços de lazer e convívio instalados em vias públicas, que geralmente ocupam o lugar de uma ou duas vagas de estacionamento.

Guiado pela coordenadora Acadêmica da ESA, Thaís Marçal, o debate teve participação da gerente de Relações Governamentais da Tembici, empresa que opera as bicicletas do Itaú, Juliana Minorello; e do procurador do Estado e professor de Direito Ambiental Maurício Mota.

Criados nos Estados Unidos, os parklets começaram a aparecer no Brasil há dois anos, em São Paulo, e hoje estão espalhados por várias regiões. A idéia é aproveitar o espaço de vagas nos meio-fios para criar uma área compacta de convivência, geralmente com bancos, mesas e jardins. O custo da instalação e da manutenção é da iniciativa privada.

“É um tema que instiga muito a curiosidade de quem está se debruçando sobre essas novas formas de regulação, das novas tecnologias”, afirmou Marçal.