Governo deverá propor fim da isenção no IPVA para carro a gás

 

 

Do jornal Extra

 

15/11/2007 - Chegou ao fim a lua-de-mel dos motoristas de carro movidos a Gás Natural Veicular (GNV) com o governo do estado. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços, Julio Bueno, informou ontem que vai propor ao governador Sérgio Cabral o envio de um projeto de lei para a Assembléia Legislativa do Rio (Alerj), determinando o fim do desconto de até 75% no IPVA para novos carros que façam a conversão para GNV. No caso da instalação de novos kits, ele quer que somente taxistas permaneçam com o beneficio da isenção do imposto.

 

Os motoristas que já têm carros movidos a gás, no entanto, continuarão desfrutando do desconto no tributo a cada ano. Segundo Bueno - que não determinou um prazo para o envio do projeto - o objetivo é desestimular novas conversões de veículos para GNV, já que a prioridade em relação ao combustível é o abastecimento das termelétricas.

 

 

Licenças suspensas

 

Ainda de acordo com o secretário, em 2007 não serão concedidas mais licenças para a abertura de novos postos de revenda de GNV. Este ano, foram inaugurados somente 25 estabelecimentos, contra 120 do ano passado. Julio Bueno, no entanto, deixou claro que o estado vai garantir o abastecimento para quem já tem carro movido a gás.

 

"Quem já tem o carro adaptado pode ficar tranqüilo, porque vamos garantir o combustível nas bombas", avisou.

 

Sobre o impacto que o fim do desconto no IPVA deverá provocar nas lojas convertedoras, o secretário garantiu que já tinha avisado aos empresários de que seria preciso tomar essas medidas em função da escassez do combustível para toda a cadeia consumidora.

 

De acordo com proprietários de oficinas convertedoras, as medidas devem fazer o negócio do GNV fracassar a partir do próximo ano. Como os consumidores que converterem seus motores este mês ainda garantem a isenção do IPVA em 2008, a procura nas lojas ainda existe, apesar da redução de 20% no movimento habitual. Mas, a partir de janeiro, sem incentivo, a previsão é de que as lojas fiquem vazias.

 

 

Aumento de preço

 

Além do fim do desconto no IPVA, o aumento previsto pela Petrobras para o gás natural também fará com que as lojas fiquem às moscas. A estatal, no entanto, não informou em que mês haverá o aumento previsto pela diretora de Gás e Energia da empresa, Graça Foster, que deverá variar de 15% a 25%. A diretora anunciou que correção será aplicada ao longo de 2008. Mas os reajustes trimestrais dos contratos de fornecimento não afetarão as concessionárias do Rio.