Os recentes casos de cobras cascavéis circulando em ambientes urbanos no Rio de Janeiro foram o mote para o evento que a Comissão Proteção e Defesa dos Animais (CPDA) realizou na manhã desta terça-feira, dia 8, na sede da Seccional. 

Abordando o problema pelo ponto de vista do desequilíbrio ecológico e trazendo orientações sobre o que fazer diante da “invasão” das cascavéis, o coordenador de Fauna Exótica da CPDA, Francisco Carrera, o professor da Uerj Jorge Pontes e o graduando em Biologia pela Uerj Raniery Tibau foram mediados pelo presidente da comissão, Reynaldo Velloso. 

“Todas as informações sobre esse tema são de grande relevância não só para o Rio de Janeiro, que enfrenta esse problema, mas para o cenário nacional, no que se refere a controle e a possibilidade de danos aos seres humanos que esses animais podem causar. Vale lembrar que qualquer tipo de manejo das cobras deverá ser sempre muito bem assistido por técnicos e que temos instituições de referência no país que dão instruções não apenas acadêmicas mas também técnicas sobre o potencial manejo das cascavéis”, observou Carrera.