Na tarde desta quinta-feira, dia 17, o presidente da OABRJ, Luciano Bandeira, reuniu-se com um grupo de artistas para tratar de temas ligados à liberdade artística no país. No encontro, os presentes relataram alguns casos de censura prévia a espetáculos e exposições, além de perseguição de artistas e fake news envolvendo a classe, e pediram a ajuda da Ordem nesse enfrentamento. 

Luciano se colocou à disposição da classe artística e disse também estar preocupado com os casos de censura. Para ele, é importante olhar caso a caso para poder identificar qual é a melhor forma de atuação. Na reunião, ficou estabelecida a criação de um grupo de trabalho multidisciplinar, com a participação de várias comissões da Ordem, para analisar a legislação que trata dos editais, além da organização de um ato contra a censura na sede da Ordem.

A atriz Bete Mendes reforçou a necessidade de uma forte atuação pela defesa dos princípios constitucionais. "A gente tem uma Constituição que proíbe a censura", lembrou. Guta Stresser, também atriz, reforçou que o audiovisual é um ramo que gera muitos empregos e dá mais retorno financeiro para o país que setores como o turismo, por exemplo. "Estive recentemente gravando um filme em uma pequena cidade com quatro mil habitantes, onde movimentamos toda a economia local. Além disso, todo artista paga impostos, emite notas e tudo precisa estar muito certinho. Merecemos ser respeitados", defendeu.

A reunião foi uma iniciativa do presidente da Comissão em Defesa do Estado Democrático de Direito, Luiz Guilherme Vieira, e contou com a presença do secretário-geral da Ordem e presidente da Comissão de Direitos Humanos, Álvaro Quintão, do procurador-geral da Seccional, Alfredo Hilário, e do assessor da presidência Carlos André Pedrazzi.

Também participaram da reunião a atriz Cristina Pereira, e representantes da área cultural.