A OAB Nacional e o Colégio de Presidentes dos Conselhos Seccionais da Ordem firmaram um acordo de cooperação técnica com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), nesta terça-feira, dia 11, para realização e divulgação de pesquisa sobre modelos alternativos de gestão de unidades judiciárias, como por exemplo, a especialização de varas de acordo com a competência e a unificação de serventias. 

O levantamento pretende verificar a percepção da advocacia sobre esse tipo de iniciativa. O CNJ será responsável pela confidencialidade dos dados, sendo as informações mantidas em sigilo e os resultados da pesquisa divulgados de forma agregada, de modo a impossibilitar a identificação dos participantes.

O conselheiro do CNJ, André Godinho, representou o colegiado do Judiciário na reunião. “A pesquisa envolve advogados e partes e avalia fatores como oportunidade, conveniência e a própria qualidade do atendimento nos cartórios integrados. É uma pauta construída desde o ano passado, quando conversamos em uma reunião deste colégio realizada em Goiânia. Envolve todas as seccionais da Ordem, que disponibilizarão a pesquisa em seus respectivos sites. Ao final, serão divulgados resultados nacionais e regionais, de modo a facilitar a adoção de providências”, destacou Godinho.