OAB/RJ apóia a campanha 'Fora Renan, já'

 

 

Do site do Conselho Federal

 

11/10/2007 - O presidente da OAB do Rio de Janeiro (OAB/RJ), Wadih Damous, concorda em gênero, número e grau com o presidente nacional da entidade, Cezar Britto, e também quer ver, o mais rápido possível, o senador Renan Calheiros fora da presidência do Senado Federal. Para Damous, a posição intransigente de Renan configura por si só quebra de decoro parlamentar. "A crise política decorrente de seu gesto se arrasta desde maio, quando a primeira das cinco denúncias que ele hoje enfrenta veio à tona. São cinco meses de resistência doentia, em que não hesitou em lançar mão de expedientes rasteiros, que vão da chantagem à espionagem contra seus colegas", afirmou o presidente da OAB do Rio de Janeiro.

 

Para Damous, o senador Renan Calheiros, no curso de todos esses processos de acusação, não conseguiu demonstrar de forma consistente que não teve envolvimento nas condutas ilícitas que lhe foram apontadas. "Não estou falando em processo criminal, no qual o ônus da prova cabe a quem acusa. Me refiro ao processo político, no qual o homem público tem que ter a sua conduta, finanças e sua vida em estado de absoluta transparência. Isso o senador não conseguiu demonstrar".

 

Wadih Damous garantiu que se a OAB do Rio de Janeiro for convidada por parlamentares a integrar uma campanha "Fora Renan" não terá dúvidas em apoiar imediatamente. "O Senado da República está literalmente parado há meses em virtude da intransigência de seu presidente. O Brasil não pode ficar esperando uma definição do caso Renan. Ele precisa sair urgentemente do cargo. O desejo não é apenas da OAB e,sim, de toda a sociedade civil", concluiu Wadih Damous.