O advogado e juiz de Direito Francisco Horta, provedor da Santa Casa de Misericórdia, e ex-presidente do Fluminense Football Club, foi homenageado pela OABRJ com a entrega da Medalha Sobral Pinto nesta quinta-feira, 23, data de seu 87º aniversário. A cerimônia de entrega aconteceu na sede da Santa Casa, e contou com a presença do presidente da Seccional, Luciano Bandeira; do assessor especial da Presidência da Ordem, Carlos André Pedrazzi, e do presidente da Caixa de Assistência dos Advogados do Rio de Janeiro (Caarj), Ricardo Menezes, além de convidados ilustres, como o ex-jogador de futebol, Paulo César Caju, campeão mundial com a Seleção Brasileira em 1970. 

“É uma honra ter aqui o presidente da OABRJ e receber, de suas mãos, a Medalha Sobral Pinto, batizada em homenagem a uma figura com quem tive o orgulho de atuar no Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), quando ele esteve à frente da Presidência e eu ocupei o cargo de secretário-geral”, afirmou Horta no início de seu discurso.

“Foram dois anos extremamente agitados, porque havia ocorrido a intervenção militar no país, à qual o IAB se posicionara contrariamente. Agradeço à Diretoria da OABRJ, e destaco sua posição admirável na defesa da Constituição e da democracia”.

Luciano Bandeira expressou seu contentamento por participar da cerimônia e saudou as figuras presentes. “Gostaria de expressar minha honra por estar aqui na Santa Casa por tudo o que ela representa na história do país”, afirmou o presidente da Seccional.

“Já me confidenciaram que aqui está guardado o recibo dos honorários do advogado de Tiradentes. É motivo de imenso orgulho e satisfação estar ao lado de pessoas tão ilustres e fazer essa homenagem a Francisco Horta e a tudo o que ele representa para a advocacia. Como membro do IAB, e, portanto, confrade de Horta, não poderia deixar de registrar as presenças de Wander Bastos e  Villemor Amaral, nosso decano e referência na advocacia, com essa tenacidade aos 101 anos. Um advogado em todos os momentos da vida”.

O presidente da Seccional também destacou a jornada de Horta e a importância simbólica da medalha:

“Essa homenagem representa o agradecimento a tudo o que Francisco Horta fez durante a vida. Ele passou pela magistratura, pelo Fluminense, e está aqui conduzindo a Santa Casa nesse momento tão difícil da história do país. A advocacia é grata por tudo o que ele fez nessa longa caminhada, e Sobral é uma referência do nosso compromisso em defender a Constituição, a democracia e o cidadão. Por isso, sinto-me muito honrado em passar esta medalha às suas mãos”.


O presidente da Caarj também expressou sua admiração por Horta:

“Esse é um momento histórico”, afirmou Ricardo Menezes. “É um orgulho a entrega da Medalha Sobral Pinto a um ícone da advocacia nacional, defensor dos direitos humanos, defensor do Estado democrático de Direito, defensor da democracia. Estou muito contente e até emocionado por estar aqui hoje”.