A OABRJ sediou nesta segunda-feira, dia 2, o Fórum Inclusivo 2019, que tratou os vários aspectos da inclusão e seus impactos na busca da humanização do processo seletivo da pessoa com deficiência.

Na abertura do evento, o presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da OABRJ, Caio Sousa, afirmou que é uma prazer para a Ordem receber o evento. "A nossa comissão é composta por militantes que atuam há muitos anos no movimento. Vamos lutar juntos e não vamos esmorecer", disse, adiantando que a comissão irá organizar, já nas próximas semanas, um evento para debater o PL 6.195, do Poder Executivo, que altera a Lei de Cotas para Pessoas com Deficiência. Se o projeto for aprovado, o empregador poderá substituir a contratação de pessoas com deficiência pelo pagamento de um valor correspondente a dois salários mínimos mensais. 

Ao final do fórum, foi lançado o Selo Biomob de Acessibilidade, iniciativa com a chancela da CPDP que premia locais com acessibilidade em dez categorias: comer e beber, saúde e bem estar, cultura, educação, serviços, praças e parques, empresa inclusiva, eventos, corpo e alma e, por fim, transporte público. O primeiro local a receber o selo foi o Museu do Amanhã. 

Também participaram da abertura do encontro o secretário estadual de Trabalho e Renda, Jorge Gonçalves da Silva; o procurador do trabalho Renato Batista; a advogada Débora Prates; a promotora de Justiça e subcoordenadora do Centro de Apoio Operacional a Pessoa com Deficiência (CAO/Pdef), Renata Scharfstein; os atletas paralímpicos Clodoaldo Silva e Anderson Lopes; o coordenador do Projeto de Inserção de PCD/reabilitados do INSS Rio, Marcelo Freitas; o arquiteto, ergonomista e engenheiro de Segurança do Trabalho Milton Rattes; o diretor de operações da RH10, Mauricio Gangana, a diretora da ANDEF Camila Rodrigues; e a psicóloga Marilene Laprovita.