O presidente das comissões de Proteção e Defesa dos Animais da OABRJ e do Conselho Federal, Reynaldo Velloso, pedirá o afastamento do policial Ney Cortês da Silva, lotado na Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), que matou a tiros, na última segunda-feira, dia 19, o cão de uma artista de rua.

O pedido será feito em reunião marcada para as 12h desta quarta-feira, 21, com o delegado Moysés Santana, titular da 18ª DP, na Praça da Bandeira. Velloso vai à delegacia acompanhado do advogado criminalista Luiz Azenha. Para a dupla, o policial precisa ser afastado de suas funções até que o inquérito esteja concluído.

Na segunda-feira, o policial admitiu o disparo, mas alegou temer que o cão fosse atacá-lo. O caso foi enquadrado como crime de maus tratos a animais, com o agravante morte.

"Mesmo sendo um delito, em tese, de pequeno potencial ofensivo, cabe uma série de medidas que a OAB pretende pedir à Corregedoria da Policia Civil", explicou Velloso.