Muitos conhecem o mito de Orfeu. Seja pela celebrada adaptação de Vinícius de Moraes – que rendeu a peça teatral Orfeu da Conceição e o filme Orfeu Negro (dirigido por Marcel Camus e com roteiro adaptado por Camus e Jacques Viot, vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro em 1960, representando a França)-, ou pela própria mitologia grega, que conta que Orfeu, o poeta, desceu ao inferno para buscar sua amada Eurídice do mundo dos mortos.

Mas o que algumas pessoas não sabem é que a adaptação deste mito é também é considerada a primeira grande ópera da história. Composta por Claudio Monteverdi (1567-1643) sobre libreto de Alessandro Striggio, L'Orfeo, favola in musica foi encenada pela primeira vez na Academia degl'Invaghiti, em Mântua, na Itália, em 22 de fevereiro de 1607, estreando oficialmente dois dias depois.

Publicada em Veneza, em 1609, a obra é considerada de uma importância ímpar para desenvolvimento do gênero e permanece ganhando releituras até os dias de hoje. Uma delas é Orfeu e Eurídice, de Christoph Willibald Gluck, que arranca elogios no Teatro Alla Scala de Milão.

Não é preciso, porém, viajar para a Itália para ver esse clássico, que foi encenado pela primeira vez em 1762. Isso porque o Ópera na Tela, projeto que leva grandes montagens para as telas de cinema, chegou ao Cine Odeon, parceiro cultural da Caarj.

Advogados e estagiários têm 50% de desconto na sessão deste clássico, dirigido por Hofesh Shechter e John Fulljames e com Juan Diego Flórez, Christiane Karg e Fatma Said nos papéis principais, que será exibido neste sábado, dia 8, às 17h.

Ópera na Tela – Orfeu e Eurídice
• Quando? Dia 8 de fevereiro (sábado)
• Valor: R$ 24 (inteira) e R$ 12 (meia)
• Desconto Caarj: 50% com a carteirinha da Ordem
• Onde? Cine Odeon
• Endereço: Praça Floriano, 7 – Centro - Rio de Janeiro