No quarto seminário realizado pela Comissão de Enfrentamento à Violência Contra Advogados (Ceva), a necessidade de garantia de uma advocacia livre foi ressaltada em palestras realizadas por membros do grupo na noite desta quarta-feira, dia 7.

Na ocasião, os integrantes da Ceva Daniel Sanchez Borges, Leandro Rodrigo Tavares e Flávia Froes trataram do tema pelo viés do tratamento dispensado ao advogado acusado de cometer crime e da violência gerada pela criminalização dos honorários advocatícios.

Presidente da comissão, Alexandre Ayres pontuou que “estamos vivendo em uma época de movimentos extremamente obscuros”. Na abertura do seminário, ele falou sobre a importância da preservação de princípios democráticos: “As pessoas precisam entender que o que nós estamos vivendo é, sem sombras de dúvidas, ume Estado de Direito. Mas um Estado de Direito pode ser democrático ou não. Os Estados de Stalin, de Hitler, de Mao Tsé-Tung eram de Direito, porque as ações ali tomadas estavam previstas no ordenamento jurídico. Mas ser democrático vai além”.

O vice-presidente da comissão, Paulo Castro, também participou da mesa.