STF diz não tolerar pressões externas e reafirma dignidade da Corte

 

 

Da Folha Online

 

30/08/2007 - Em nota oficial divulgada nesta quinta-feira, o STF (Supremo Tribunal Federal) defendeu a transparência no processo de julgamento das denúncias contra os 40 acusados de envolvimento no mensalão.

 

"O Supremo Tribunal Federal - que não permite nem tolera que pressões externas interfiram em sua decisões - vem reafirmar o que testemunham sua longa história e opinião pública nacional, que são a dignidade da Corte, a honorabilidade de seus ministros e a absoluta independência e transparência de seus julgamentos. Os fatos, sobretudo os mais recentes, falam por si e dispensam maiores explicações", diz a nota assinada pela presidente do STF, Ellen Gracie.

 

O ministro Ricardo Lewandowski disse, em telefonema na noite de anteontem, que a "imprensa acuou o Supremo" no julgamento que decidiu pela abertura de ação penal contra os 40 acusados de envolvimento no mensalão.

 

A notícia - exclusiva - está na Folha de hoje, em reportagem de Vera Magalhães.

 

"Todo mundo votou com a faca no pescoço", disse Lewandowski, segundo a reportagem. "A tendência era amaciar para o [José] Dirceu."

 

Na terça-feira (28), após mais de 30 horas, o STF encerrou o julgamento das denúncias contra os acusados. Todos os denunciados foram transformados em réus - entre eles os ex-ministros José Dirceu (Casa Civil), Luiz Gushiken (Comunicação do Governo) e Anderson Adauto (Transportes), o empresário Marcos Valério, os deputados João Paulo Cunha (PT-SP) e José Genoino (PT-SP), além do ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), autor das denúncias do mensalão.

 

O telefonema teria durado cerca de dez minutos e foi inteiramente testemunhado pela Folha. Lewandowski jantava acompanhado no recém-inaugurado Expand Wine Store by Piantella, na Asa Sul, em Brasília.