TJ decide se abre investigação sobre conduta de juiz no caso Richarlyson

 

Da Folha de S.Paulo

 

15/08/2007 - O juiz Manoel Maximiano Junqueira Filho lançou despacho na sexta-feira para anular sua sentença em relação à queixa-crime apresentada por Richarlyson contra José Cyrillo Júnior, diretor do Palmeiras. A sentença provocou polêmica ao afirmar que "futebol é viril, varonil, não homossexual".

 

Hoje, o TJ (Tribunal de Justiça) decidirá se abre ou não uma investigação sobre a conduta do magistrado, que havia arquivado a queixa-crime.

 

No documento apresentado na última semana, o juiz, que está de licença, diz que não é de competência da Vara Criminal Central da Capital o julgamento da queixa-crime. O magistrado argumenta que, por se tratar de um "delito de menor potencial ofensivo", a ação contra Cyrillo --processado por ter sugerido que o volante seria homossexual em um programa TV-- deverá ser julgada pelo Juizado Especial Criminal.

 

"Ele deveria ter concluído isso na época do primeiro despacho", reclama Renato Salge Prata, advogado de Richarlyson. O representante do jogador pretende recorrer ao TJ para evitar que o caso pare no Jecrim. Se necessário, irá ao Supremo.

 

Junqueira Filho apresentou informações sobre o caso à Corregedoria Geral da Justiça. Agora, cabe ao órgão decidir se aceita os argumentos dele.