Tribunal de Justiça do Rio suspende prova de domingo

 

 

Do jornal O Globo

 

11/12/07 - A denúncia de fraude no concurso da Polícia Rodoviária Federal (PRF) levou o Tribunal de Justiça do Rio a suspender ontem a seleção para os cargos de técnico e analista judiciário que seria realizada no domingo.

 

O corregedor-geral da Justiça, desembargador Luiz Zveiter, mandou intimar o Núcleo de Computação Eletrônica (NCE) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que é responsável pelas provas da PRF e também pelas do TJ.

 

Segundo o corregedor, o vazamento das provas e dos gabaritos, no caso da Polícia Rodoviária, prejudica a credibilidade do concurso do tribunal. Ele disse que a seleção está suspensa por tempo indeterminado, até que a Procuradoria da República conclua as investigações.

 

Há informações não confirmadas de que as provas do TJ estariam armazenadas no mesmo local de onde vazaram os gabaritos das provas da PRF. "A transparência do concurso público é da essência dos critérios de ingresso nas carreiras estatais, não comportando dúvidas. Não podemos, portanto, colocar cerca de 70 mil inscritos em dúvida", afirmou Zveiter.

 

O desembargador disse ainda que as inscrições continuam valendo e que os candidatos deverão receber, brevemente, um comunicado sobre os próximos passos que serão tomados pela corregedoria. O órgão vai analisar o contrato do TJ com o NCE. Há a possibilidade de o próprio tribunal aplicar as provas. Nesse caso, o contrato com o NCE seria cancelado.

 

O TJ do Rio está oferecendo 66 vagas para técnico, com vencimentos de R$ 2.033,37, e 72 para analista, com remuneração de R$ 3.348,96. O prazo de validade do concurso é de um ano, prorrogável por igual período, a critério da Corregedoria de Justiça.