Wadih: 'problema da criminalidade não se resolve tão-somente com polícia e ECA'

 

 

03/11/2/2007 - Ao comentar nesta segunda-feira, dia 3, a matéria publicada no jornal O Globo sob o título "Metade dos menores presos morre ou continua no crime", o presidente da OAB do Rio de Janeiro, Wadih Damous, afirmou que "enquanto se achar que o problema da criminalidade se resolve tão-somente com polícia e o Estatuto da Criança e do Adolescente só for aplicado em sua parte penal, o quadro descrito tende a se agravar".

 

Para Damous, ao invés da política de extermínio em vigor no estado atualmente o correto seria o governo estadual promover, imediatamente, mais investimentos em saúde, educação, trabalho e lazer. "É urgente a humanização dos internatos que são, hoje, verdadeiras escolas de pós-graduação em crimes".

 

Segundo a pesquisa feita pelo O Globo, a morte ou o crime foi o destino de 52,6% dos 2.363 menores infratores detidos por delitos graves no Rio de Janeiro no ano de 2000. A pesquisa foi feita junto à Vara da Infância e Juventude. Ao chegar à maioridade, 34,3% dos jovens foram flagrados cometendo novos crimes, sendo que a maioria deles teve de duas a quatro passagens pela Justiça. Outros 18,5% foram mortos neste sete anos, numa média de um assassinato por semana.