X Seminário de Ensino Jurídico da OAB é aberto em Brasília

 

 

Do site do Conselho Federal

 

26/11/2007 - "Foco não só no ensino jurídico, mas em uma educação jurídica ampla e sólida, com a transmissão de conhecimentos verdadeiros aos alunos". Essa foi a proposta apresentada pelo presidente da Comissão de Ensino Jurídico do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Adilson Gurgel, para o X Seminário de Ensino Jurídico, aberto na manhã de hoje no auditório da OAB Nacional, em Brasília. Integraram a mesa de abertura do seminário o secretário da Comissão de Ensino Jurídico da OAB Nacional, Ademar Pereira (coordenador do evento), o secretário Nacional de Reforma do Poder Judiciário, Rogério Favreto, e o professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie e ex-governador de São Paulo, Cláudio Lembo, que fará a conferência de abertura do evento. Também estiveram presentes o diretor da Escola Nacional de Advocacia (ENA), Geraldo Escobar Pinheiro, e o secretário de Educação Superior do Ministério da Educação, Ronaldo Mota.

 

Ao abrir os trabalhos do evento, Adilson Gurgel discorreu sobre a evolução da Comissão Nacional de Ensino Jurídico e enfatizou a importância de se debater a oferta de uma formação jurídica ampla e de qualidade aos estudantes. "Se o problema é a falta de ética, esta não se ensina, mas se educa. Se o problema é o professor, que encara tudo como um mero ofício, uma simples ocupação, vamos educá-lo, pois a importância do ensino não se ensina", afirmou Gurgel, instando a todos a debaterem com afinco o tema do evento: "A docência jurídica no contexto do ensino superior a contemporaneidade".

 

Em seguida, o secretário da Comissão de Ensino Jurídico da OAB Nacional, Ademar Pereira, destacou a importância do evento para a história do ensino em Direito e leu o currículo do conferencista de abertura, o ex-reitor e atual professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie e ex-governador de São Paulo, Cláudio Lembo.

 

 

Conferência de abertura

 

Na oportunidade, Lembo fez um relato do contexto histórico brasileiro por ocasião da criação dos primeiros cursos jurídicos no Brasil, apresentando os fatos que culminaram na abertura desses cursos (em Olinda e em São Paulo). Ele defendeu veementemente a importância de que essa história não se perca entre os ensinamentos de hoje pelos cursos jurídicos em funcionamento no País. "É preciso que todos os cursos de Direito no Brasil tenham em sua grade curricular um segmento destinado ao ensino da criação e desenvolvimento do Direito no Brasil, sob pena de perdermos as nossas tradições históricas nesse contexto", pugnou Cláudio Lembo, destacando que "nativismo e a lembrança das raízes do Direito brasileiro é o que falta às faculdades e cursos jurídicos em atuação no Brasil".

 

 

Programação

 

O X Seminário de Ensino Jurídico será realizado hoje e amanhã em Brasília com a participação de mais de 200 advogados, professores, diretores de faculdades e demais profissionais ligados ao ensino jurídico. Os painéis que começam nesta manhã abordarão temas atuais relacionados ao ensino jurídico, como "A docência do Ensino e as Inovações da Legislação Educacional" - primeiro painel de hoje, com início previsto para às 9h30 - e "O Ensino Jurídico e a Formação Profissional do Bacharel em Direito em diálogos pedagógicos interdisciplinares".

 

Também serão debatidos durante o X Seminário de Ensino Jurídico da OAB assuntos como o Exame de Ordem, a educação à distância, formas de ensinar o Direito frente aos desafios tecnológicos da atualidade e serão conhecidas experiências notáveis no exercício da docência jurídica. O presidente nacional da OAB, Cezar Britto, faria a abertura do seminário na sede da OAB, mas teve que viajar às pressas na madrugada de hoje para acompanhar o sepultamento do advogado capixaba Geraldo Gomes de Paula, de 63 anos, morto por um policial militar dentro das dependências do Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Vitória.

 

A última edição do Seminário de Ensino Jurídico foi realizada em Goiânia, no ano passado. Os principais temas abordados foram os instrumentos de ensino jurídico e a inserção profissional. Ao final do evento será divulgada a Carta de Brasília.