Formulário de busca

09/11/2018 - 16:02

Onda conservadora na educação

A discussão sobre o que deve ou não ser ensinado nas salas de aula tem ocupado boa parte da pauta da sociedade, em meio ao avanço de ideias conservadoras sobre o papel dos professores e da escola na formação de crianças e adolescentes. Com o objetivo de aprofundar o debate sobre a questão, o Centro de Documentação e Pesquisa da OAB/RJ, a Associação Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências (Abrapec) e a Associação Brasileira de Ensino de Biologia (SBEnBIO) realizaram, no dia 5 de outubro, o debate Docência e liberdade: o que os professores de Ciências e Biologia têm a dizer sobre a ofensiva ultraconservadora.

O mediador foi o membro da SBEnBIO Rodrigo Borba. Membro do CDP, Aline Caldeira representou a Seccional na mesa do evento.  

A autora de livros didáticos de Ciências Mônica Waldhelm, o integrante do Movimento Educação Democrática Fernando Penna e a representante da Abrapec, Sandra Selles compuseram a bancada de palestrantes.
 
Segundo Penna, os pais não podem pedir que os filhos não sejam educados para combater preconceitos.
 
“Isso tudo é tarefa da escola, sim.Toda a legislação aponta para a obrigação dos professores de formar esses jovens de maneira plena, para o com bate ao machismo, racismo, homofobia, transfobia e outros. Não é uma questão de escolha do professor. Esse discurso reacionário já impacta na realidade das escolas, mas o Judiciário indicou a inconstitucionalidade da lei. O debate jurídico é fundamental, mas trata-se também de uma discussão educacional”.