Formulário de busca

03/08/2018 - 21:04

O que você acha de os juízes terem direito a 60 dias de férias por ano?

Os 60 dias de férias aos quais os magistrados brasileiros têm direito suscitaram polêmica após a sugestão da corregedora nacional de Justiça, Eliana Calmon, de redução do período pela metade. A pressão gerou notas da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) de repúdio à proposta, alegando que o duplo benefício seria necessário devido à estafa mental dos profissionais. Para saber a opinião dos colegas sobre o assunto, nossa equipe de reportagem esteve no Fórum Central perguntando:
 
Os juízes têm muito trabalho e sua responsabilidade é maior, mas acredito no princípio da isonomia. Se eles têm 60 dias, quero ter também. Quero ter os prazos suspensos por esse período e tudo mais... Sou a favor da proposta de diminuição do período de férias, visando, principalmente, à igualdade entre as classes.
Carlos Bandeira, advogado, 60 anos

O juiz deveria ter 30 dias de férias, como qualquer outra pessoa. É o tempo comum para um trabalhador. Temos que considerar o princípio da igualdade. A isonomia é para todos, não só para uma parcela da sociedade.
Cláudio José Raymundo, advogado, 47 anos
 
Nós devemos valorizar o ser humano. E acredito que 30 dias de férias por ano não são suficientes para que uma pessoa descanse e melhore seu aproveitamento. Portanto, faz sentido que os juízes, que têm um trabalho muito cansativo, contem com esse descanso, para ter condições de trabalhar perfeitamente em suas decisões. E isso ainda deveria ser extensivo aos advogados. O recesso de fim de ano deveria ser de 30 dias, pelo menos.
Luiz Coutinho, advogado, 69 anos

Um juiz ter 60 dias de férias aumenta ainda mais a morosidade processual. O ideal seria que seguissem a proposta da ministra Eliana Calmon e diminuíssem as férias para 30 dias, não somente para igualar-se aos outros trabalhadores, mas, principalmente, porque a Justiça ficaria mais célere. Mais dias de trabalho, maior celeridade processual.
Rogério César Pinto, advogado, 46 anos

Os magistrados terem 60 dias de férias não tem razoabilidade nenhuma. Se for sob o prisma do volume de trabalho, que é a justificativa de muitos, sabemos que ele é parelho com o de funções de outros agentes públicos. O juiz é um servidor público como qualquer outro, e é um disparate a diferença das férias entre eles. A diminuição para 30 dias daria uma isonomia para toda a categoria de servidores.
Guido Tiepolo Neto, advogado, 28 anos
 
O juiz trabalha bastante, sim. Mas, pelo princípio da isonomia, ele deveria ter 30 dias de férias, como todos os servidores. Acho que a ministra Eliana Calmon está fazendo um ótimo trabalho e comungo com sua posição, sendo totalmente a favor das férias de apenas 30 dias, além do recesso.
Alba Ignácio, advogada, 49 anos

Como todo trabalhador, os magistrados deveriam ter férias normais, de 30 dias. Eu advogo há 27 anos e não aceito o argumento de que eles merecem mais descanso porque levam trabalho pra casa. Advogado também leva. Além disso, os juízes têm uma série de prerrogativas que nós não temos, então nada mais justo do que férias regulares.
Afrodízio Marques Pinheiro, advogado, 57 anos

Essa é uma imposição que já está até caindo, porque é anormal, até pelo fato de o Brasil ser um país com tantos dias de férias, ainda termos o recesso e os feriados. Os magistrados terem ainda mais tempo para folgar é uma coisa fora do razoável. Sou totalmente a favor da ideia de diminuição desse período para 30 dias.
Edgar Gomes Pereira, estagiário, 23 anos