Formulário de busca

12/06/2018 - 15:59

Advocacia preventiva para pequenas e médias empresas

Uma em cada quatro empresas fecha até completar dois anos, segundo dados do Sebrae. As pequenas e médias empresas respondem por 27% do PIB e por 95% dos empreendimentos regularizados do país. São também responsáveis por R$ 334 bilhões de arrecadação de impostos. Ancorada nessas premissas, a Comissão Especial de Direito da Pequena e Média Empresa realizou no dia 9 de maio, na Seccional, uma palestra para ressaltar a importância da advocacia preventiva na pequena e média empresa. 
Participaram da conversa a presidente da comissão, Emília Garcez, o subdiretor de apoio ao advogado da capital da OAB/RJ, André Sá do Espírito Santo, e o advogado Roger Slosaski.

Os participantes foram unânimes em afirmar a importância de se mudar a imagem do advogado apenas como a figura que resolve litígios para a de um sujeito que deve atuar como um consultor. Essa mudança de cultura deve passar pela pressão por mais disciplinas sobre empreendedorismo nas escolas de Direito.

Garcez falou da dificuldade de se convencer o empresário de que investir na participação preventiva do advogado, ou seja, convidá-lo a participar do planejamento estratégico e tributário das organizações poderia evitar conflitos judiciais onerosos. “O advogado deve reposicionar sua atuação como um profissional dotado de conhecimento multidisciplinar que influa nas decisões empresariais, sendo um agente catalisador do crescimento das empresas”, afirmou.