Formulário de busca

12/06/2018 - 13:40

“Nosso patrimônio indispensável é a memória”, diz o diretor do Centro de Documentação e Pesquisa da OAB/RJ

A palestra A História da OAB e suas subseções, ministrada pelo diretor do Centro de Documentação e Pesquisa (CDP) da Seccional, Aderson Bussinger, deu início às atividades do dia 26 de maio.

Ele apresentou projeto de memória da Ordem, cujo objetivo é a publicação de uma revista digital especial, e que tem como eixos a trajetória da entidade e sua atuação na sociedade brasileira. Bussinger anunciou uma parceria com a TV Justiça, que irá fazer programas sobre o tema. As primeiras gravações devem acontecer nos dias 6 e 7 de julho, tendo como foco a vida de Heleno Fragoso.

“Nosso patrimônio indispensável é a memória. Tudo passa, mas ela fica. Golpes militares, por exemplo, podem derrubar prédios. Mas a memória ninguém pode subtrair, ainda mais em tempos digitais. Isso é construído, e as subseções são fundamentais. Sem elas não é possível fazer esse trabalho, que está começando. O objetivo é sistematizar o material, contribuir para a memória da advocacia do Rio de Janeiro”, afirmou.

O diretor do CDP explicou que o projeto tem como pilar a memória audiovisual e documental. “Vamos criar ramificações para tratar da memória da mulher advogada, dos advogados negros, daqueles que lutaram contra o regime militar e até de temas como a advocacia empresarial e ambiental. Serão setores de memória e, dentro disso, teremos as subseções”, especificou.

Bussinger apresentou o projeto da Revista História da OAB, dividida em três etapas: Era Vargas, Ditadura civil-militar e Redemocratização e Constituição Federal. O periódico abordará o decreto de criação da Ordem, a instalação das seccionais, a participação na Constituição de 1934, a criação das Caixas de Assistência, a defesa de presos políticos, a luta pelo fim da ditadura, entre outros pontos, baseando-se principalmente em atas, material jornalístico e fotografias.

Os presidentes sugeriram uma publicação que contemplasse também a história de cada uma das 63 subseções, ideia bem recebida pelo diretor do CDP. Sérgio Ricardo da Silva, coordenador do DAS na Baixada Fluminense, secretariou a mesa.