Formulário de busca

12/04/2018 - 16:19

Exibição de Soldados do Araguaia teve debate e homenagem a Caó

Carlos Alberto Caó de Oliveira, deputado federal na época da Constituinte e militante do movimento negro brasileiro, foi o autor da lei que tornou crime a discriminação racial, em 1989. Falecido em fevereiro deste ano, Caó foi homenageado no dia 2 de março, na abertura do evento organizado pela Comissão Estadual da Verdade e da Escravidão Negra no Brasil (Cevenb) da OAB/RJ, que transmitiu o documentário Soldados do Araguaia, de Belisário França, sobre o combate à resistência armada durante a ditadura militar.

O ex-ministro da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) Edson Santos conduziu a homenagem. “Pensei em fazer pesquisa sobre o Caó, mas achei que o melhor era falar da percepção que eu tinha dele”, disse, lembrando que participou, com Caó do Comitê Brasileiro da Anistia. “Eu conheci o Caó como uma figura destacada, era presença muito marcante, pelo fato de suas posições, suas intervenções, serem sempre referência nas reuniões de que participávamos”, afirmou.

Estiveram também na homenagem a diretora de Igualdade Racial da OAB/RJ, Ivone Caetano, o presidente da Cevenb, Humberto Adami; a vice-presidente do Instituto dos Advogados Brasileiros e presidente da Comissão de Direito Sindical da OAB/RJ, Rita Cortez; o vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB/RJ, André Barros, e o diretor do Centro de Documentação e Pesquisa da OAB/RJ, Aderson Bussinger.