Formulário de busca

28/11/2012 - 15:02

Para desafogar varas, Pedrazzi pede mutirão ao TJ de Friburgo

Sofrendo há mais de um ano as consequências das fortes chuvas que atingiram a Região Serrana, em janeiro de 2011, o município de Friburgo também enfrenta problemas no Judiciário, gerados pela tragédia. O acúmulo de processos tem dificultado o trabalho dos advogados e motivou o presidente da 9ª Subseção, Carlos André Pedrazzi, a recorrer ao Tribunal de Justiça do Rio. Em uma reunião realizada no dia 6 de março, ele solicitou ao presidente do TJ, Manoel Alberto, a realização de um mutirão na cidade.
 
“A 9ª Subseção tem recebido constantes recla-mações de colegas e partes relacionadas ao elevado número de processos conclusos para decisão e em processamento, o que gera morosidade na solução das lides”, afirmou Pedrazzi, que também pediu a designação de um juiz auxiliar para colaborar com as três Varas Cíveis da comarca de Friburgo.

Em razão da “já demonstrada capacidade laborativa, bem como do seu conhecimento da realidade da região”, foi sugerido o nome do juiz Marcio Gava.

Manoel Alberto se comprometeu a analisar e encaminhar ao responsável a solicitação de mutirão. “Quanto à indicação do juiz auxiliar, não vejo problema algum, contanto que o trabalho seja realizado de maneira distinta em cada uma das varas”, disse.
 
Conduta de juíza foi criticada
 
Na reunião, Pedrazzi entregou um ofício relatando a insatisfação da Diretoria da subseção com a conduta da juíza-titular do Juizado Especial Cível da comarca, Ana Paula Azevedo Gomes. De acordo com ele, os colegas têm se queixado. “Recebemos reclamações de conduta inapropriada e estamos solicitando as providências que o caso enseja”, declarou, antes de afirmar que uma cópia do documento foi pessoalmente entregue à magistrada.
Também participaram os vice-presidentes da OAB/RJ e da 9ª Subseção, Sergio Fisher e Rômulo Colly e o secretário-geral da 9ª Subseção, André Abicail.